Últimas

Abilio da Conceição Abrantes de Araújo

Abilio da Conceição Abrantes de Araújo, natural de Aileu, nasceu a 18 Outubro de 1949. Andou até à primeira classe em Aileu e continuou até à quarta classe na Missão Salesiana de Lahane, Dili. Continuou os seus estudos na Escola São Francisco Xavier em Dare. Em 1962 juntou-se ao Seminário de Nossa Senhora de Fátima, de Dare. Biografia: Abílio Araújo tem uma aptidão especial pela música e durante os seus anos de estudo na Missão Salesiana e no Seminário foi regente do corod do Seminário.

Biografia

Foi convidado em Outubro de 1968 para o cargo de Administrador de Posto em Hatu-Udo. Descontente com a condição em que viviam os timorenses, durante os anos da administração colonial, deixou o cargo.
Juntou-se à tropa em Janeiro de 1969, fez o Curso de Sargento Miliciano e em 1970 chegou ao posto de furriel. Durante os seus anos na tropa, Abílio Araújo sempre obteve 18 valores e foi dispensado do exame para a Universidade onde estudou Ciências Económicas e Financeiras na Universidade Técnica de Lisboa.
Em 1973, num encontro com Nicolau Lobato sobre anti-colonialismo em África, esteve na origem do Movimento Libertação Nacional. Com o poeta Borja da Costa, em Lisboa, escreveu o livro o Foho Ramelau, Kdadalak suli mutuk.
Abílio Araujo foi um dos fundadores da Fretilin e assumiu o cargo de vários ministérios. Foi escolhido para ser o representante da Fretilin na Europa. Os primeiros representantes da Fretilin na frente diplomática desses anos eram Abílio Araujo, Mari Alkatiri, Ramos Horta, Rogério Lobato, Guilhermina Araujo e Jose Luís Guterres.
Em 1999, antes do referendo Abílio Araujo criou o Partidu PNT-Partidu Nacionalista Timorense. Abilio Araujo é autor de vários livros entre os quais: As Elites em Timor, Lisboa 1973; Timor Leste, Uma Luta Heróica, Lisboa 1976; Os loricos voltaram a cantar - Das guerras independentistas à Revolucao do Povo Maubere, Lisboa 1978; e FRETILIN conquers the right to Dialogue, Lisboa 1983.
Graças ao seu talento musical, Abilio Araujo editou: Single: Foho Ramelau (side 1); Kdadalak (side 2), Sydney, Australia, 1976; Long Play: Hinos e Cancoes da Revolucao do Povo Maubere, interpreta husi Grupu Indonesia nian bolu naran Anin Timur, Frankfurt 1978; Long Play: Liu Tinan Atus Hat, hananu husi Comite 28 de Novembro, Lisboa 1979; Single: Hino Nacional “Patria, Patria...” (side 1), Foho Ramelau (side 2) ho hananu hamutuk ho orquestra, dirige husi Maestro Simao Barreto, Lisboa, 1984.

Frase

Tane ita rai

Na rede

Site oficial: www.abilioaraujoapr.com/2011/10/abilio-araujo-hau-hakarak.html/