Últimas
  • 1999

    • Janeiro de 1999

      família refugiada

      Na Indonésia, durante as eleições legislativas é anunciada a independência de Timor-Leste, assim como a libertação de Xanana Gusmão. As milícias em Suai matam três pessoas, incluindo uma mulher grávida e um jovem estudante. Cerca de 5.500 pessoas abandonam as suas casas após o assassinato.

    • 5 e 9 de Abril de 1999

      Jovens choram no domingo de 11 de abril de 1999 durante uma missa na igreja de Liquiça

      Duas pessoas são mortas durante os confrontos em Liquiçá. Xanana Gusmão é mantido em prisão domiciliária em Jacarta, acusado de ataques da guerrilha contra as forças indonésias. Homens armados disparam tiros e arremessam granadas numa igreja onde se encontravam 1500 refugiados. Cerca de 40 pessoas foram mortas em Liquiça e 5 pessoas foram alvejadas até à morte na residência do pároco Rafael. Pelo menos 25 pessoas foram assassinadas pelos membros do grupo de milícias Besi Merah Putih.

    • 5 de Maio de 1999

      Os Ministros dos Negócios Estrangeiros Jaime Gama e Ali Alatas, numa conversa antes do encontro com Kofi Annan, sobre a situação no Timor Leste

      Indonésia e Portugal assinam o acordo que permite a convocação um referendo sobre a independência.

    • 17 e 22 de Junho de 1999

      Os signatários e testemunhas de um Pacto de Paz depois de cerimônia de assinatura

      Em Timor-Leste frações rivais concordam em cessar a intimidação e a violência antes do referendo de Agosto. O secretário - geral da ONU, Kofi Annan anuncia com 2 semanas de atraso que a votação irá decorrer a 8 de Agosto em Timor-Leste.

    • Junho / Outubro de 1999

      Policias de Brigada Moveis indonésios a aguardar a frente da sede da Missão de Assistência das Nações Unidas para Timor Leste (UNAMET) em Balide

      ONU mandatou ´A Missão das Nações Unidas em Timor-Leste (sigla inglês: UNAMET) para organizar e realizar uma consulta popular o povo timorense escolher entre a autonomia especial com a Indonésia ou independência. UNAMET foi uma missão política.

    • 30 de Agosto de 1999

      Um timorense mostra os seus documentos no recenseamento feito pela ONU no Bairro Pite, Dili.

      451,000 pessoas votam no referendo para determinar a autonomia ou independência de Timor-Leste. Com a apresentação dos resultados, milícias pro-Indonésia reagem com violentos conflitos contra a vitória da independência. Os confrontos só terminam nas semanas seguintes, após a intervenção de forças enviadas pela ONU.

      Timorenses residentes em Lisboa celebram depois do anúncio do resultado de referendo feito pelo Kofi Annan, confirmando esmagadora vitória (78,5 por cento) dos timorenses que escolheram a independência.

      O Secretário Geral Kofi Annan anunciou o resultado do Referendo que foi de 78.5% a favor da independência. Em resposta ao resultado milícias pró-indonésia tomam conta do país e uma dúzia de pessoas são mortas em Dili.

    • 6 de Setembro de 1999

      A igreja de Suai onde foram mortos os refugiados e os padres que lhe deram a proteção.

      A Indonésia declarada a lei marcial em Timor-Leste, ao mesmo tempo que as milícias começam a executar líderes pro - independência. No Suai, 200 civis são assassinados numa igreja. 3 Padres Católicos constam entre os mortos.

    • 8 de Setembro de 1999

      Uma policia da ONU (C) é consolada por colegas na chegada ao complexo da ONU em Díli, vindo de Liquiça

      Em Timor-Leste, mais de 2000 pessoas reúnem-se junto à sede da ONU para pedir a manutenção das Nações Unidas no território. Dados oficiais indicam que cerca de 200,000 pessoas foram forcadas a sair de Timor-Leste.

    • 8 a 11 de Setembro de 1999

      O Conselho de Segurança das Nações Unidas realiza uma reunião sobre a situação no Timor Leste.

      O Presidente americano Clinton move uma acção para quebrar os laços militares com a Indonésia e o FMI suspende o seu programa de empréstimo à Indonésia, devido à violência praticada em Timor-Leste. O presidente Clinton apoiado pela Assembleia Geral da ONU, consegue a introdução de uma força internacional para restabelecer a ordem em Timor-Leste.

    • 12 de Setembro de 1999

      O Presidente Indonésio, BJ Habibie fala ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, no Palácio do Presidencial em Jacarta.

      Na Indonésia, o Presidente Habibie confirma a entrada de Forças Armadas estrangeiras em Timor-Leste e a abertura de um inquérito para investigar as atrocidades cometidas no país.

    • 20 de Setembro de 1999

      Royal Gurkha Rifles de infantaria do Exército Britânico são informados por seu comandante durante uma sessão de treino no Quartel Robertson.

      Chegada do primeiro grupo de forças de paz internacionais, conhecido como INTERFET.

    • 29 de Setembro de 1999

      O padre Jubito. chora ao ter conhecimento da morte de seis religiosos quando faziam de carro a viagem entre Baucau e Lospalos.

      As atrocidades cometidas em Timor-Leste são reveladas com a descoberta dos restos mortais de 9 corpos, na parte traseira de um camião.

    • 21 a 31 de Outubro de 1999

      O comandante das Falintil, Xanana Gusmão, cercado por tropas de alta segurança, saúda a multidão na sua chegada numa cerimónia, realizada na sede das Falintil em Remexio.

      José Alexandre "Xanana" Gusmão, o líder guerrilheiro exilado, regressa a Dili. O Conselho de Segurança da ONU vota para enviar 8,950 forças de paz. 1,640 Agentes da polícia e 200 militares supervisionam a transição de Timor-Leste para a independência. Os últimos 900 soldados indonésios deixam o país. Forças indonésias queimam cerca de 80% dos edifícios governamentais e infraestruturas timorenses depois da votação pela independência.

    • Outubro de 1999 a Maio de 2002

      O brasileiro Sergio Vieira de Mello.

      Após o mandato da UNAMET, o Conselho de Segurança da ONU estabeleceu a UNTAET - Administração Transitória das Nações Unidas em Timor Leste (UNTAET) – este mandato foi uma operação de manutenção da paz onde a UNTAET exercia a autoridade administrativa sobre o país durante a transição para a independência.

  • 2000

    • 22 de Janeiro de 2000

      Mulher chora sobre um dos seis caixões contendo os restos mortais de vítimas desenterrados em Maubara.

      Investigadores da ONU encontram em Timor, numa vala comum, os corpos de 8 pessoas. No total, de Setembro a Janeiro, as Nações Unidas recuperaram cerca de 200 corpos.

    • 12 de Fevereiro de 2000

      Presidente português, Jorge Sampaio cumprimenta uma mulher timorense a frente da sede da Administração Transitória das Nações Unidas em Timor Leste

      O Presidente português, Jorge Sampaio, é o primeiro chefe de Estado Português a visitar a ex-colónia, transmitindo ao povo que Portugal irá apoiar Timor na reconstrução das suas vidas.

    • 24 de Fevereiro de 2000

      Comandante da Força Internacional no Timor-Leste (INTERFET),  Major General Peter Cosgrove (C) saúda durante uma cerimônia de bandeira INTERFET redução

      Em Timor-Leste, forças de paz australianas entregam o controlo do país à ONU.

    • 6 de Setembro de 2000

      O caixão do funcionário croata da ONU é tirado do helicóptero na chegada em Dili 07 de setembro de 2000.

      Em Timor Ocidental, milhares de milicianos armados invadem um escritório da ONU em Atambua, matam pelo menos 3 trabalhadores e queimam os seus corpos. Os trabalhadores de assistência da ONU são evacuados no dia seguinte e deixam para trás 90,000 refugiados que tiveram de enfrentar os cortes de comida e medicamentos. Após o ataque das milícias seguiu-se a morte de Olivio Mendosa Moruk, um líder da milícia timorense.

    • 15 de Setembro de 2000

      A delegação timorense, presente na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Sydney, que desfilou com a bandeira do Comité olímpico

      Na Austrália 4 atletas timorenses participaram nos Jogos Olímpicos 2000.

  • 2001

    • 1 de Fevereiro de 2001

      Soldados das FALINTIL

      A força da antiga guerrilha timorense passa a funcionar como núcleo do novo exército nacional.

    • 4 de Julho de 2001

      O Ministro de Negócios Estrangeiros australiano Alexander Downer com o filho do dirigente timorense Xanana Gusmão, Alexandre, depois da assinatura do Memorando de Entendimento sobre o acordo de Petróleo do Timor Gap com o governo do Timor Leste.

      Ministro dos Negócios Estrangeiros Australiano aprova a entrega ao país de receitas de gás e petróleo do mar de Timor.

    • 30 de Agosto de 2001

      88 membros da Assembleia Nacional redigem a Constituição e realizam-se as primeiras eleições em Timor-Leste. A afluência às urnas foi de cerca de 93% . A Fretilin vence as eleições ocupando 55 dos 88 lugares da Assembleia.

  • 2002

    • 9 de Fevereiro de 2002

      Timor-Leste aprova a nova Constituição. A independência total é agendada para o dia 20 de Maio.

    • 14 de Março de 2002

      Antigo comandante militar indonésio de Udayana, o major-general Adam Damiri (C), durante o julgamento dos direitos humanos num tribunal de Jacarta Central.

      Em Jacarta começa o julgamento de 3 generais acusados de crimes contra a Humanidade.

    • 14 de Abril de 2002

      Os candidatos presidenciais, Xanana Gusmão (D) e Xavier do Amaral, durante a campanha eleitoral de 2002.

      Nas eleições presidenciais Xanana Gusmão ganha a Francisco Xavier do Amaral por uma larga margem. Xanana Gusmão é eleito o 1º presidente de Timor-Leste e cumpre o mandato de Maio 2002 a Maio 2007.

    • 20 de Maio de 2002

      Timor-Leste, com uma população com cerca de 800,000 habitantes celebra a independência e baptiza de novo a sua nação com o nome Timor Loro-Sae.

    • Maio de 2002 a Maio de 2005

      Kamalesh Sharma, o representante do Secretário-geral da ONU em Timor-leste.

      A ONU concedeu outro mandato a Missão das Nações Unidas - Apoio no Timor -Leste (UNMISET)liderado pelo Kamalesh Sharma , também foi uma missão de paz, foi mandatado para prestar assistência ao recém-independente Timor Leste até que todas as responsabilidades operacionais foram totalmente transferida para as autoridades de Timor-Leste, e para permitir que a nova nação, agora chamado de Timor-Leste, atingir a autossuficiência.

    • 2 de Julho de 2002

      O Presidente Xanana Gusmão e o seu oponente indonésio Megawati Sukarnoputri iniciam um novo capítulo nas relações entre a mais jovem nação do mundo e a sua antiga inimiga, estabelecendo novas relações diplomáticas e comprometendo-se a trabalhar juntos.

    • 15 de Agosto de 2002

      Na Indonésia, Timbul Silaen, antigo chefe da policia timorense e outros 5 agentes de segurança são absolvidos dos crimes contra a Humanidade de que eram acusados.

    • 27 de Setembro de 2002

      Timor-Leste, o 1º país do séc.XXI, é aceite e reconhecido nas Nações Unidas, aumentando o rol de membros para 191.

    • 4 de Dezembro de 2002

      Em Díli, forças de segurança disparam sobre manifestantes estudantis, matando 2 pessoas e levando a multidão enfurecida a saquear lojas e incendiar vários edifícios, inclusive a residência do Primeiro Ministro.

  • 2003

    • 2 de Março de 2001

      Eusebio distribuiu dezenas de bolas de futebol, durante a visita a tres escolas da capital timorense, no ambito da campanha

      O ´Pantera Negra´ visita Timor-Leste pela primeira vez, no âmbito da campanha "Uma bola por Timor".

  • 2005

    • 9 de Março de 2005

      Apesar das críticas feitas pela ONU, Indonésia e Timor-Leste chegam a acordo e criam a Comissão da Verdade e Amizade para averiguar as atrocidades cometidas em 1999.

    • 8 de Abril de 2005

      O Presidente indonésio Yudhoyono é recebido em Timor-Leste numa visita para reforçar a reconciliação entre Jacarta e Díli.

    • 13 de Maio de 2005

      Timor-Leste conclui as conversações em Sidney e conseguiu superar os 2 principais pontos de atritos: garantir a sua fronteira marítima e assegurar as receitas do Greater Sunrise, campo de gás natural. Ambos os países concordaram em adiar a questão das fronteiras por 50 anos juntamente com uma divisão de receitas de 50%.

    • Maio de 2005 a Agosto de 2006

      Presidente Xanana Gusmão e o Representante do secretário-geral das Nações Unidas de UNOTIL, Sukehiro Hasegawa

      Agosto 2006, Gabinete das Nações Unidas em Timor Leste (UNOTIL) foi mandatado uma nova missão para apoiar o desenvolvimento de capacidades das instituições estatais críticas.

    • 18 de Junho de 2005

      Cristiano Ronaldo, visita Timor-Leste.

  • 2006

    • 12 de Janeiro de 2006

      Austrália e Timor-Leste partilham igualmente as receitas do projecto de gás natural “Greater Sunrise” no mar de Timor.

    • 21 de Fevereiro de 2006

      Jorge Sampaio recebe passaporte diplomático e cidadania honorária de Timor-Leste no dia em que começa uma viagem oficial de 3 dias à antiga colónia portuguesa.

    • Fevereiro de 2006

      Cerca de 500 soldados timorenses desertaram em protesto contra a alegada discriminação e excesso de zelo de vigilância. O Primeiro-Ministro Mari Alkatiri demite quase metade dos 1400 elementos das forças armadas que estiveram em greve no dia 1 de Março por se sentirem discriminados.

    • 28 de Abril de 2006

      Centenas de antigos soldados queimam carros e lojas em Dili, gerando violentos confrontos com a polícia, que provocaram pelo menos 2 mortos e 27 feridos. Os soldados demitidos organizaram manifestações diárias em Dili, ordenando que os seus protestos fossem ouvidos.

    • 25 de Maio de 2006

      Oito agentes da Polícia Nacional Timorense (PNTL) são mortos num massacre, em Caicoli, Díli, quando se encontravam sob escolta das Nações Unidas. As Forças para a Estabilidade Internacional compostas por Austrália, Nova Zelândia, Malásia e Portugal, chegam ao porto de Dili, a pedido do governo timorense, para ajudar a manter paz e ordem a na cidade.

    • 4 de Junho de 2006

      A Guarda Nacional Republicana (GNR) chega a Dili para restaurar a ordem na capital timorense. A população sai à rua para dar as boas-vindas ao contingente que é recebido com flores e tais.

    • 6 de Junho de 2006

      Cerca de 2000 manifestantes exigem a saída do Primeiro Ministro Mari Alkatiri. Horas depois um armazém com mantimentos agrícolas é incendiado.

    • 23 de Junho de 2006

      O Presidente da República desiste da ameaça de se demitir, dizendo que não vai abandonar o país agora que se procurava uma solução para as semanas de turbulência política e distúrbios nas ruas.

    • 24 de Junho de 2006

      Milhares de manifestantes exigem a demissão do Primeiro Ministro Mari Alkatiri, culpando-o da violência e do caos político vivido nos últimos meses.

    • 26 de Junho de 2006

      Alkatiri demite-se do cargo, provocando todo o tipo de celebrações na capital. No entanto, milhares de apoiantes de Fretilin manifestam o seu apoio ao líder.

    • 29 de Junho de 2006

      O Ministério Público timorense ordena a prisão de Rogério Lobato, antigo Ministro do Interior, pelo fornecimento de armas a um esquadrão encarregue de eliminar adversários políticos do Primeiro-Ministro. Tropas internacionais reforçam a segurança em toda a capital e centenas de manifestantes exigem a demissão de Mari Alkatiri.

    • 10 de Julho de 2006

      Para terminar com a incerteza política vivida em Timor, José Ramos-Horta é nomeado Primeiro- Ministro.

    • 22 de Julho de 2006

      José Ramos-Horta e Vicente da Conceição ´Railos` assinam um acordo que garante o fim da violência e que visa prevenir novos conflitos.

    • Agosto de 2006

      UNMIT ou Missão Integrada das Nações Unidas em Timor-Leste, substituiu UNOTIL depois das recomendações pelo Secretário-Geral que afirmou que a crise de Timor-Leste mostra que ainda muito por fazer na construção da nação e a construção da paz.

  • 2007

    • 18 de Janeiro de 2007

      Timor-Leste e a ONU lançam um apelo para a constituição de um fundo de 16.6 milhões de dólares para o restabelecimento e reintegração de cerca de 100,000 deslocados, vítimas da violência que arruinou o país no ano anterior.

    • 25 de Fevereiro de 2007

      O Primeiro- Ministro José Ramos-Horta declara à multidão da sua cidade natal que iria concorrer às eleições presidenciais em Abril.

    • 4 de Março de 2007

      Forças de segurança internacional apoiadas por helicópteros invadem o esconderijo de Alfredo Reinado e alvejam 4 supostos insurgentes.

    • 7 de Março de 2007

      Um painel de 3 juízes declara o antigo Ministro do Interior, Rogério Lobato, culpado pela violência que levou à queda do governo e atribuindo uma sentença de 7 anos e meio de prisão.

    • 9 de Abril de 2007

      São convocadas novas eleições presidenciais. Sete oponentes disputam o cargo num escrutínio que poe à prova a acalmia no país, um ano após ter estado à beira de uma guerra civil.

    • 9 de Maio de 2007

      Os timorenses dirigiram-se às urnas para votar por um novo Presidente.

    • 10 de Maio de 2007

      Ramos-Horta vence as eleições presidenciais e promete unir o país.

    • 20 de Maio de 2007

      José Ramos-Horta é nomeado Presidente e a capital volta a viver um clima de instabilidade quando grupos rivais entram em confronto provocando mais um vítima.

    • 30 de Junho de 2007

      Nas eleições parlamentares a Fretilin não consegue uma maioria e obtém apenas 21 deputados, num total de 65 lugares, o que leva o Presidente José Ramos-Horta a solicitar a criação de uma coligação de unidade nacional apesar da Fretilin insistir na constituição um governo minoritária. Nas legislativas o partido de Xanana Gusmão ganha 18 lugares e avança com uma coligação que garante uma maioria de 37 lugares.

    • 6 de Agosto de 2007

      Xanana Gusmão é nomeado Primeiro -Ministro, provocando uma nova onda de violência na capital.

    • 7 de Agosto de 2007

      Movimentos liderados por rebeldes incendeiam edifícios governamentais e escritórios de assistência estrangeira. A violência desencadeada pela nomeação do novo Primeiro-ministro chega a Baucau, a segunda maior cidade do país.

    • 14 de Dezembro de 2007

      O Primeiro- Ministro australiano Kevin Rudd e o Secretário Geral da ONU Ban Ki-Moon deslocam-se a Timor-Leste para dar apoio à estabilização e reconstrução do país depois da violência sofrida no ano anterior.

  • 2008

    • 11 de Fevereiro de 2008

      Soldados rebeldes atacam e ferem gravemente o Presidente José Ramos-Horta. O Primeiro-ministro Xanana Gusmão é também alvo de uma tentativa falhada de golpe de Estado.O líder rebelde Alfredo Reinado e o Leopoldino Exposto foram mortos no ataque à residência de Ramos-Horta.

    • 12 de Fevereiro de 2008

      Timor-Leste declara o estado de emergência. Tropas e um navio de guerra australiano chegam para aumentar a segurança depois do atentado ao presidente e de vários ataques rebeldes por todo o país.

    • 4 de Abril de 2008

      O Supremo Tribunal da Indonésia anula a condenação de Eurico Guterres e de todos os 18 suspeitos que foram inicialmente acusados de matar cerca de 1000 pessoas, após a votação pela independência em 1999.

    • 29 de Abril de 2008

      Gastão Salsinha, líder do grupo de rebeldes acusado de tentar assassinar o Presidente Ramos-Horta, entrega-se juntamente com 12 dos seus homens, aumentando assim a esperança de maior estabilidade no país.

    • 11 de Julho de 2008

      Luis Inácio Lula da Silva, Presidente do Brasil, visita Dili e promete ajudar Timor.

    • 15 de Julho de 2008

      Presidente indonésio reconhece que o seu país cometeu graves abusos dos direitos humanos em 1999 e disponibiliza-se para pedir desculpas.

    • 10 de Dezembro de 2008

      Indonésia organiza em Bali um Fórum da para promover a democracia na região.

  • 2010

    • 22 de Janeiro de 2010

      Durante seis meses a PNTL (Polícia Nacional de Timor-Leste) leva a cabo uma operação anti-ninja para pôr cobro a ataques contra as populações.

    • 7 de Julho de 2010

      O Presidente José Ramos-Horta não se opõe quanto ao plano australiano de tornar Timor-Leste num centro regional para os que procuram asilo, mas não pretende que o país se torne numa “ilha prisional”.

    • 29 de Agosto de 2010

      Enterro dos restos mortais dos combatentes da independência mortos nas montanhas de Metinaro, assinala os 10 anos desde o referendo pela independência em 30 de Agosto de 1999.

    • 8 de Setembro de 2010

      Mario Carrascalão que demitiu do  cargo de Vice Primeiro-Ministro da governação de AMP.

      Mário Viegas Carrascalão (73) anuncia a sua resignação numa carta publicada no jornal Tempo Semanal. Num golpe à sua “digna personalidade”, afirma que o Primeiro - Ministro Xanana Gusmão o desrespeitou publicamente e enumera uma longa lista de questões que poem em causa a transparência e promovem a corrupção e nepotismo no país.

  • 2011

    • 27 de Março de 2011

      O primeiro-ministro de Timor-leste, Xanana Gusmão (C), assiste à passagem da Missão das Nações Unidas (UNMIT) pelo Comissário Luís Carrilho (D), a responsabilidade pelo policiamento em todo o país ao comando geral da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL).

      A Polícia da ONU devolve o total controlo de Timor-Leste à PNTL, cinco anos após os conflitos sangrentos que ameaçaram conduzir o país para uma guerra civil.

    • 20 de Agosto de 2011

      Antigos elemento das Forças Armadas da Independência e Libertação de Timor-Leste, após serem, em Díli, Timor-leste.

      Em Díli realiza-se a primeira desmobilização de antigos combatentes das FALINTIL. São condecorados 236 elementos.

    • 6 de Outubro de 2011

      General Taur Matan Ruak o último comandante das Forças Armadas para a Libertação e Independência de Timor-Leste (FALINTIL), demite-se do cargo de Comandante das Forças Armadas.

    • 12 de Novembro de 2011

      20º aniversário do massacre de Santa Cruz, onde foram mortas 74 pessoas no local e outros 127 morreram nos dias seguintes no hospital militar. Das 2.261 pessoas que participaram na manifestação, 934 pessoas foram em condecoradas pelo Estado timorense que reconheceu a sua luta pela independência.

  • 2012

    • 13 de Fevereiro de 2012

      O Presidente de Timor-Leste, Ramos Horta (E), cumprimenta o duque de Bragança, D. Duarte de Bragança (D), durante a cerimónia que atribuiu a nacionalidade timorense e uma condecoração a D. Duarte.

      D. Duarte de Bragança recebe a cidadania timorense e a Ordem de Mérito pelo contributo dado à causa timorense.

    • 17 de Março de 2012

      A 17 de Março decorrem as eleições presidenciais, com a participação de 13 candidatos. Em Junho estão previstas eleições legislativas.