Últimas

Timor-Leste/Eleições:Estabelecidas condições de segurança para eleitores votarem livremente - UNPOL (C/AUDIO)

16 de Março de 2012, 18:20

*** serviço áudio disponível em www.lusa.pt *** Díli, 16 mar (Lusa) - O comandante da Polícia da ONU em Timor-Leste, Luís Carrilho, garantiu hoje que estão estabelecidas as condições de segurança para que os eleitores timorenses possam votar livremente nas eleições presidenciais do próximo sábado.

"O nosso planeamento já começou há bastante tempo, com vários tipo de atividades. Temos um plano conjunto de segurança assinado, temos um dispositivo no terreno a trabalhar e queremos garantir aos cidadãos timorenses que as condições de segurança estão estabelecidas para que, em liberdade, possam votar livremente sábado para as eleições presidenciais", afirmou Luís Carrilho.

O superintendente português, responsável pela força policial da ONU destacada em Timor-Leste, falava numa conferência conjunta com o comandante-geral da Polícia Nacional timorense, comissário Longuinhos Monteiro.

"Em termos de planeamento operacional para as eleições, o papel da polícia das Nações Unidas é apoiar operacionalmente e em todas as áreas a Polícia Nacional de Timor-Leste, para que o dia das eleições decorra de uma forma ordeira e pacífica", explicou Luís Carrilho.

O comandante da força policial da ONU afirmou também que não antecipa problemas, mas que a polícia estará em "condições de resolver qualquer incidente" que possa vir a ocorrer.

Numa mensagem aos jornalistas, o comandante da Polícia da ONU em Timor-Leste disse para evitarem rumores e que a polícia estará disponível para confirmar informações.

Na mesma linha, o comissário Longuinhos Monteiro pediu aos embaixadores acreditados em Díli para confirmarem as questões de segurança com a Polícia Nacional de Timor-Leste.

"Hoje de manhã o comando-geral teve a iniciativa de convidar os embaixadores para os informar sobre a situação de segurança em todo o território, nomeadamente questões relacionadas com a atividade eleitoral. Pedimos para que todos recebam informações da Polícia Nacional de Timor-Leste e para evitarem recolher informações erradas", afirmou.

O comissário Longuinhos Monteiro deu depois, como exemplo, notícias divulgadas a semana passada pela imprensa indonésia que davam conta da retirada de cidadãos indonésios de Timor-Leste, que foram depois desmentidas pelas próprias autoridades de Jacarta.

"Acompanhem a situação de segurança através de fontes credíveis que é a polícia", aconselhou.

Sobre a campanha eleitoral que terminou quarta-feira, a Polícia Nacional de Timor-Leste disse que decorreu de forma "pacífica e ordeira", com alguns incidentes de "menor importância" que as autoridades policiais resolveram.

No próximo sábado, a partir das 07:00 locais (22:00 em Lisboa), mais de 625 mil eleitores timorenses vão escolher entre 12 candidatos o próximo Presidente da República do país, o terceiro desde a restauração da independência, a 20 de maio de 2002.

MSE.

Lusa/Fim


Comentários