Últimas

Timor-Leste/Eleições:Candidatura de La Sama satisfeita com resultados, ainda não decidiu quem apoia na segunda volta

19 de Março de 2012, 18:51

Díli, 19 mar (Lusa) - A candidatura de Fernando La Sama de Araújo às presidenciais de sábado em Timor-Leste disse hoje que ainda não está decidido quem vai apoiar na segunda volta, considerando que continua a manter uma "posição chave".

Fernando La Sama de Araújo, presidente do parlamento nacional e líder do Partido Democrático ficou em quarto lugar nas presidenciais de sábado com 79.653 votos, segundo os resultados provisórios divulgados pelo Secretariado Técnico da Administração Eleitoral.

"Saímo-nos bem, embora gostássemos de seguir para a segunda ronda", afirmou à agência Lusa o mandatário da candidatura de Fernando La Sama de Araújo, João Boavida.

Segundo João Boavida, a posição em que a candidatura, apoiada pelo Partido Democrático, ficou é a mesma que ficou em 2007, na altura com 77.459 votos.

Para a segunda volta das presidenciais ainda não foi decidido quem vão apoiar, mas João Boavida considerou que o Partido Democrático tem uma "posição chave".

"Nós, por enquanto, ainda não decidimos. Temos um encontro hoje ao nível da liderança do partido e amanhã (terça-feira) já teremos uma decisão", afirmou, sublinhando que, qualquer que seja a decisão, tem de ser tido em conta os benefícios políticos para o partido.

O Partido Democrático, com oito assentos parlamentares, faz parte da coligação no Governo timorense, liderada pelo Conselho Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), do primeiro-ministro, Xanana Gusmão.

O CNRT está a apoiar a candidatura de Taur Matan Ruak.

Timor-Leste realizou eleições presidenciais no sábado mas nenhum dos 12 candidatos conseguiu obter a maioria necessária para ser eleito chefe de Estado.

Passaram à segunda volta das presidenciais, o presidente da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), Francisco Guterres Lu Olo, e o ex-chefe das Forças Armadas general Taur Matan Ruak.

O atual Presidente do país, José Ramos-Horta, que se recandidatou, ficou em terceiro lugar.

Em conferência de imprensa, Ramos-Horta, referiu, na qualidade de chefe de Estado, que a segunda volta das presidenciais deverá realizar-se na terceira semana de abril.

MSE.

Lusa/Fim


Comentários