Últimas

Timor-Leste/Eleições:Taur Matan Rual cancela comício em Viqueque por razões de segurança

03 de Abril de 2012, 22:09

Díli, 03 abr (Lusa) - O candidato Taur Matan Ruak cancelou um comício previsto para terça-feira em Viqueque, a leste de Díli, por razões de segurança, disse hoje à agência Lusa o porta-voz da candidatura, Fidélis Magalhães.

"Temos informações de duas casas e uma motorizada queimada. Decidimos não ir. O candidato disse hoje que não quer conflito e sofrimento para os cidadãos", afirmou Fidélis Magalhães contatado por telefone pela agência Lusa. Segundo o porta-voz de Taur Matan Ruak o coordenador de campanha do ex-chefe das forças armadas foi apedrejado e o carro danificado em Baucau.

A candidatura de Taur Matan Ruak convocou uma conferência de imprensa para quarta-feira e espera-se que aborde os incidentes de Viqueque, um bastião da Fretilin, partido na oposição que apoia a candidatura de Francisco Lu Olo Guterres, adversário do ex-general na segunda volta das presidenciais de 16 de abril.

Contactada pela agência Lusa, fonte da candidatura de Francisco Guterres Lu Olo afirmou que a "segurança está estável".

"Do nosso ponto de vista os comícios têm corrido bem e estamos a garantir a ordem e a estabilidade. Não há justificações nenhumas para falar de problemas durante a campanha", afirmou a mesma fonte.

A mesma região foi palco do único incidente grave nas eleições legislativas de 2007, quando um segurança civil da candidatura do CNRT, de Xanana Gusmão, foi morto a tiro.

Taur Matan Ruak demitiu-se da chefia das forças armadas do país para se candidatar à Presidência da República, tendo conseguido, na primeira volta disputada a 17 de março, o segundo lugar com cerca de 25 por centos dos votos.

O ex-chefe das forças armadas é apoiado pelo Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), do primeiro-ministro, Xanana Gusmão.

Francisco Guterres Lu Olo, que obteve cerca de 28 por cento dos votos, é apoiado pela Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin).

Na semana passada, na sequência de uma reunião extraordinária do Conselho Superior de Defesa e Segurança, os dois candidatos assumiram um compromisso para que a campanha eleitoral e o dia das eleições decorra "sem incidentes".

"O nosso compromisso é único: Fazer tudo o possível para que os nossos cidadãos votem no dia das eleições e que todos eles exerçam o seu direito em liberdade de escolha", afirmou o general Taur Matan Ruak.

"Nós temos um compromisso muito claro. Estamos aqui e somos responsáveis perante o nosso país, perante o nosso povo, e queremos dar toda a liberdade ao povo para escolher o candidato que preferir, num ambiente de paz, calma e estabilidade", disse, por seu turno, Francisco Guterres Lu Olo.

Os dois candidatos comprometeram-se também a controlar os seus apoiantes, a bem da tranquilidade do país, pedindo serenidade.

Nos últimos dias, as autoridades timorenses têm feito repetidos pedidos aos timorenses para que o dia eleitoral de 16 de abril decorra de forma exemplar, como aconteceu na primeira volta para as presidenciais, a 17 de março.

MSE.

Lusa/Fim


Comentários